Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

4 ESQUINAS

BLOG ONDE SE PODE E DEVE FALAR DE TUDO (SOBRETUDO O INTERESSANTE)



Terça-feira, 01.10.13

ESCOLHERAM...AGUENTEM-SE!

 

Em Outubro de 2009, ao analisar as eleições autárquicas de então escrevi o seguinte:

O PS ganhou porque os seus candidatos tiveram mais votos que os seus opositores e isso em democracia chega.

Como sempre fui,  sou e continuarei a ser coerente terei no final das votações autárquicas de 2013 escrever o mesmo.

No entanto, se em 2009 a única razão que encontrei para que o PS tivesse ganho foi a decisão democrática do eleitorado Castrense, nas eleições de 2013 essa mesma razão existe, mas existem também outras.  e não menos importantes,  razões.

A começar pela cada vez mais reinante sufocação democrática existente no Concelho.

São por demais evidentes, as promessas de trabalho, as promessas de subsídios, as promessas de reformas antecipadas, as promessas de RSI, entre outras.

Promessas que infelizmente vão convencendo os eleitores de que a concretização das mesmas depende de determinadas pessoas ou que essas pessoas podem usar os organismos a que pertencem para as concretizarem.

A crise instalada no país, e da qual são grandes responsáveis os governantes do PSD,CDS e PS, origina a que pessoas com famílias para sustentar se deixem eludir por promessas de trabalho, ainda que o mesmo seja concretizado através do programa CEI e Estágios.

Nisso, os nossos governantes locais souberam aproveitar ao máximo e tirar daí benefícios consideráveis em termos eleitorais.

Convém salientar, que contrariamente ao que foi prometido a muitos desses beneficiários, estes programas são apenas temporários e como tal não dão qualquer vínculo contratual com a entidade para a qual prestam serviço.

Vejamos então de que trata tal programa:

 “Desempregados inscritos nos centros de emprego ou centros de emprego e formação profissional, numa das seguintes situações:

  • Beneficiários de subsídio de desemprego ou de subsídio social de desemprego
  • Beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI)
  • Desempregados não subsidiados nem beneficiários do RSI, inscritos há pelo menos 4 meses consecutivos

Entre os destinatários desta medida, são considerados prioritários:

  • Desempregados de longa duração
  • Desempregados com idade igual ou superior a 55 anos de idade
  • Pessoas com deficiências e incapacidades
  • Os projectos têm a duração mínima de 3 meses e máxima de 12 meses, não prorrogáveis”. 

 

Provavelmente, muitos dos eleitores nestas condições, não teriam votado “na necessidade” e sim na “consciência” se quem de direito e obrigação os tivesse informado convenientemente e não mediante a sua conveniência ou necessidade de voto.

Sabemos que a autarquia local usou e abusou desse programa para colocar pessoas ao seu serviço e daí retirar as contrapartidas, visíveis, em termos eleitorais.

Outro factor, e também, importante contributo para a vitória do PS, foi, sem dúvida, o caos instalados entre os militantes e simpatizantes do PSD.

Começou com a escolha, ou auto-escolha, do candidato a presidente.

Tal facto nunca foi muito bem aceite pelos “barões” do PSD. Talvez por isso nunca se viu durante a campanha o empenhamento indispensável e necessário de tais figuras. Preocuparam-se muito mais, e porque todos eles faziam parte da lista concorrente á Assembleia Municipal, em vencer a sua “guerra” do que ajudar o partido a ganhar a “batalha” eleitoral.

Não quero de modo algum desvalorizar a vitória alcançada pelo PS local na noite eleitoral.

Não o quero fazer porque o povo votou, elegeu e o povo é soberano. No entanto, convém salientar que pelo facto de ser soberano não significa que seja “inteligente”. No caso concreto considero que além de soberano é, e foi masoquista.

Foi e é masoquista, porque durante a pré campanha e campanha eleitoral, foi notório, junto das minhas esquinas, a opinião negativa sobre os actuais e futuros vereadores camarários.

Pelas conversas escutadas, os mesmos não fizeram obra necessária, mas sim a conveniente para angariar votos.

Segundo os mesmos, os governantes não sabiam falar, não tinham perfil para gerir a Câmara, não tinha credibilidade perante as instâncias superiores, não tinha preocupações em fazer o básico, como saneamentos, etars, estradas ou as reparações necessárias nas mesmas.

Afirmava ainda, uma grande maioria, que tinham sido enganados mas não votariam neles pois não queriam ter mais quatro anos de atraso e marasmo. Diziam que, os actuais vencedores, não tinham ou lhes faltava tanta coisa importante para poderem ser os governantes ideais para o Concelho.

Diziam que não votariam, nunca, em governantes despesistas.

Diziam não gostar da forma folclórica como eram organizadas festas, festinhas romarias e passeios de idosos, sem qualquer controlo de gastos.

Diziam não gostar das “peixeiradas” como a acontecida na feira das colheitas entre o presidente e um funcionário da autarquia.

Diziam tanta e tanta coisa negativa de quem governa o Concelho.

No entanto, pelos resultados alcançados, para o Câmara, mais 691 votos que os alcançados há quatro anos atrás, parece que tudo isso é mentira.

Será que é? Claro que não! Então o povo eleitor é masoquista, ou gosta de se autoflagelar.

Não entendo este povo. Eu, que tantas e tantas vezes o elogiei pela sua sabedoria, inteligência e perspicácia, tenho que hoje afirmar sentir-me desiludido e com cada vez menos forças, nos dedos, para lutar por eles e em conjunto fazermos de Castro Daire o Concelho que todos nós merecemos.

Continuando com a leitura eleitoral, terei que felicitar a CDU.

Esta força partidária, para a Câmara conseguiu um aumento de 50 votos, a juntar aos mais 54 conseguidos para a Assembleia Municipal.

Não é um aumento significativo, mas é o suficiente, na minha opinião, para cada vez mais contarmos com a CDU para defender os interesses do Concelho e estar sempre ao lado dos Castrenses, insatisfeitos, na defesa da verdade e acima de tudo para apoiar aqueles que queiram inverter a asfixia democrática existente e cada vez mais emergente no Concelho.

O PSD, foi sem qualquer dúvida o grande derrotado da noite.

Perdeu, em relação a 2009, 696 votos para a Câmara Municipal, perdeu 523 votos para a Assembleia Municipal e, para terminar a noite negra, deixa de gerir a Freguesia de Castro Daire.

Perdeu em todas as frentes. Perderam os cabeças de lista para os três importantes órgãos, mas perdeu essencialmente a sua identidade partidária.

Durante a campanha, desde cedo, foi evidente a derrota do PSD, no tocante á Câmara Municipal. No entanto, tal facto nunca foi previsível para a Assembleia Municipal.

Era voz corrente que a lista concorrente á Assembleia Municipal iria, com alguma vantagem, vencer a eleição para o referido órgão e seguidamente os seus componentes tomariam conta do partido, vangloriando-se da sua vitória, mas essencialmente da derrota do candidato á autarquia.

Era um pensamento lógico e de todo legítimo. Ou seja. Luís Alberto Aveleira e a sua equipa sairiam derrotados para a Câmara e de seguida os “notáveis da Assembleia Municipal iriam “cobrar-lhe” a derrota e chamar a si as rédeas do Partido.

Tal facto não aconteceu! Por isso será legítimo perguntar quem será a pessoa capacitada para reorganizar o Partido Social Democrata ou dizer, não perdi nada, não enterrei o partido na derrota eleitoral e como tal tenho toda a legitimidade democrática para me tornar líder e o tentar erguer.

Na minha opinião a resposta é óbvia. Só um nome e uma figura tem, após a noite catastrófica, legitimidade para tal. Chama-se Eulália Teixeira.

Eu que a achei não ser a pessoa indicada para há quatro anos atrás dirigir os destinos de Castro Daire, acho-a, hoje,  e por isso me penitencio pelo erro cometido, a única pessoa capaz de trazer para a ribalta o Partido laranja.

Todos os outros militantes, concretamente Paulo Almeida, António Luís, Vítor Figueiredo, António Giroto, entre outros, provou-se não serem uns vencedores nem agregadores de ideias e como tal sem o necessário perfil para lider.

Se Eulália Teixeira não “pegar” no PSD, ou alguém com as suas capacidades, que neste momento não vislumbro no PSD local, os Sociais-democratas vão com toda a certeza fazer por muitos anos a "travessia no deserto" e Fernando Carneiro governará os próximos oito anos e outro Socialista, o finalmente eleito Vereador governará nos anos seguintes.

Por último falar do CDS e da sua prestação eleitoral.

Perdeu quase metade do eleitorado da Câmara Municipal, perdeu 246 votos para a Assembleia Municipal e perdeu o seu representante na Assembleia de Freguesia de castro Daire.

Perdeu! Isso é óbvio visível e não se pode escamotear.

No entanto não perdeu grande coisa. Na minha opinião passou apenas de um partido com pouca expressão a nível Concelhio para um partido com pouquíssima expressão.

Merecia ter alcançado mais votos? Merecia-o garantidamente!

Merecia-o acima de tudo pela excelente campanha que realizou, com seriedade, inovação e competência.

Merecia-o pelas soluções que apresentava ao Concelho com vista ao seu desenvolvimento.

Merecia-o pelo respeito que teve durante a campanha para com os eleitores, ao oferecer ideias e soluções em vez das canetas, aventais, bonés e outras benesses.

Merecia-o porque cada vez mais está provado que PSD e PS, os partidos que nos têm governado, nada nos trazem de novo.

Merecia-o, acima de tudo, pela renovação feita pelo seu líder em termos de militantes, simpatizantes e credibilidade imprimida ao partido.

É verdade, merecia! Mas o povo é masoquista! Ou seja foram durante quatro anos penalizados pela inercia dos governantes, mas gostam de o ser. Por isso votou na continuidade.

Este povo, não merece candidatos credíveis, trabalhadores e dedicados á causa pública. Isso ficou provado nas eleições!

Daqui por quatro anos haverá mais. Espero que, para bem do Concelho, melhor.

Eu cá continuarei nas minhas esquinas acreditando, cada vez menos naquilo que os transeuntes me dizem, pois dizem uma coisa e fazem precisamente o oposto, mas sempre atento até onde a vista alcança e pronto a escrever as cada vez mais incongruências deste Concelho.

Continuo, também, na esperança que o artigo 13º da constituição da Republica Portuguesa seja cumprido:

 

 

Artigo 13.º

(Princípio da igualdade)

  1. "Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei".
  2. "Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual".

 

Termino com a já célebre frase: Venham pra junto ao pé das minhas esquinas. Frase adaptada da original e proferida, no rescaldo da noite eleitoral, pelo eleito Presidente da Câmara “Venham pra junto ao pé da sede”.


Zé da Esquina

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé da Esquina às 00:47


37 comentários

De paulo a 29.11.2013 às 21:06

Mais um comentário que não é mais do que um ataque cobarde ( porque tem medo de dar a cara)ao PS de Castro Daire e a Fernando Carneiro. Só alguém com um ódio muito grande é capaz de só dizer mal. De certeza que haverá coisas bem feitas no Executivo PS mas se calhar essas coisas bem feitas não interessa contar.

De Observador a 07.10.2013 às 11:56

Zé:
Porque é que o líder e a n.º 3 não foram à tomada de posse?
Porque é que o n.º 2 tomou posse mas abandonou a sala quando o Presidente iniciou o seu discurso?
Porque é que o professor abandonou a tomada de posse?

Uns (dizem) não sabem ganhar e os outros (pelos vistos) não sabem perder.
Que papelinhos...

De Orador a 07.10.2013 às 14:51

Uma vergonha a falta de espírito democrático daqueles que sequer se dignaram a marcar presença na tomada de posse! Luis Alberto Aveleira demonstrou, com esta atitude, não ser nada mais para além do que um simples empreiteiro.
Agora, apoio aqueles que depois da tomada de posse e antes do início do discurso do grande senhor presidente da câmara, abandonaram a sala. É que ouvir um discurso(?) do Sr. Presidente da Câmara de Castro Daire é castigo que nem no purgatório é aceite!!

De inconformado a 07.10.2013 às 22:25

faltaram??? abandonaram a sala??? francamente estamos muito bem representados com esta oposição ao executivo. este pode fazer o que quiser, o povo anda distraído, a oposição é o que é: fraca, sem preparação, sem ideias, sem vontade nenhuma, +porque sabe que daqui a 4 anos está a arrumar a trouxa.
Viva o reinado do Carneiro!!

De Anónimo a 03.10.2013 às 11:27

Continuação
6 - Por mim, e para terminar, digo apenas que, tantos anos depois de eu ter abandonado o aparelho do PARTIDO SOCIALISTA, pelas razões então evocadas e publicadas, num quadro onde eu via pouco SOCIALISMO e muito OPORTUNISMO, não estou arrependido de o ter feito. E jamais esperei ver materializados e impressos a cores num folheto de campanha eleitoral autárquica, os comportamentos que sempre condenei. E para mim, face ao caso vertente, começa a ter sentido a paródia lexical que troca «socialistas» por «xuxalistas», graças a este«xuxalista» encartado e acolitado que ganhou a presidência da Junta da Freguesia de Mões, alegando publicamente o APOIO que nunca me solicitou, nem eu expressamente lho dei. Silenciar o caso, depois de ter o folheto nas mãos e lê-lo, era negar tudo o que eu disse aos eleitores da «União de Freguesias de Mamouros/Alva/Ribolhos», alertando-os para um voto esclarecido. Era ir contra o meu carácter, a minha personalidade, a ética que orienta minha postura cívica. «PARA ALÉM DA LIBERDADE, A DIGNIDADE», é título de um livro que anda perdido nas estantes da minha biblioteca. Um livro que esse professor candidato, nunca leu, nem vai ler. Não tem necessidade disso, pelos vistos.

De Anónimo a 03.10.2013 às 11:26

Continuação
4 - Confrontado pessoalmente com tal descaramento, meteu os pés pelas mãos e caiu na asneira de dizer que eu lhe tinha remetido o texto por «mail»,ignorando que na caixa do correio electrónico ficam registados, com dia e hora marcada, os endereços e as entradas e saídas da correspondência. Dizia ser um texto genérico, ao qual ele acrescentara o seu nome, dada a sua condição de candidato. Neguei-lhe, cara a cara, tudo isso, que o texto não era meu e que ele, sem permissão minha, vinculara a minha pessoa, usando o meu nome, a minha fotografia (até desactualizada no meu perfil público, nas redes sociais) e um texto de apoio à sua candidatura que eu nunca escrevi, nem escreveria. Sabendo-me amigo do pai, abusou da minha confiança, enganou o eleitorado de Mões, cometendo o acto imbecil de pensar que eu me calaria quando tal soubesse. De facto, chegado ao meu conhecimento, aqui estou a denunciá-lo e a lavrar o meu protesto. Pelas palavras impressas no folheto nas «MENSAGENS DE APOIO» dizendo-o«sério, honesto e trabalhador» responderá Miguel Ginestal, ex-deputado à Assembleia da República. Pelas palavras «é um homem generoso, que gosta de ajudar, que é solidário» responderá o actual deputado, Acácio Pinto. Pelas palavras «será, sem dúvida, um Presidente que dignificará a Freguesia de Mões», responderá o ex-presidente da Junta Carlos Rocha. Pela palavras «homem de princípios que defende até à exaustão, coerente com aquilo em que acredita, batendo-se pelos seus valores» responderá o meu colega Sebastião Pereira. Pelas palavras «pertence a uma geração de jovens inteligentes, dinâmicos, honestos e trabalhadores», responderá o Engenheiro Saúl Ferreira. Pelas palavras «sempre o considerei um grande socialista e democrata» responderá professor Gonçalo Ginestal. Pela totalidade do texto que me é atribuído, pelo abuso de confiança e falta de ética profissional e política e tudo o que vem ao arrepio dos louvores debitados pelos meus «colegas de bancada», respondo eu. É TUDO FALSO.

5 – Provas da falsidade? Para além de ele não poder apresentar correspondência saída da minha caixa de correio para a sua, falsidades se demonstram no próprio folheto. O texto que me é atribuído, mal pontuado e erros gramaticais, remata as outras opiniões nele impressas e atribui-me a convicção de que o candidato iria «conseguir atingir os objectivos a que se propôs». Ora eu, tendo sido um professor que leccionou no tempo em que vigorava a PEDAGOGIA POR OBJECTIVOS, eu, que nesse quadro de educação, fui ORIENTADOR PEDAGÓGICO do professor Miguel Ginestal (a primeira figura de GABARITO impressa no folheto) eu, que ainda não esqueci isso, algum dia subscreveria um texto como remate de outro, onde não vejo impresso um OBJECTIVO de campanha? No folheto, de facto, para além das pseudo «MENSAGENS DE APOIO», mais não se lê do que o currículo do candidato. Para um professor, candidato a uma Junta de Freguesia, é mau demais. Para um educador, a exercer profissão numa escola, que lição de cidadania e de ética transmite ele aos alunos, praticando publicamente aldrabices destas? Eu não tenho adjectivos para classificar um cidadão e um professor que assim procede. Mas, sabido isto, os eleitores que lhe deram o voto e os pais e os alunos dele que rebusquem no dicionário. Ali encontrarão os mais adequados aos actos praticados. Em política, não vale tudo.

(Continua)

De Anónimo a 03.10.2013 às 11:24

Caro Zé, permita-me que em jeito de comentário deixe um texto retirado do facebook "Trilhos Serranos" e que, na minha opinião caracteriza aquilo que foram as eleições autárquicas em Castro Daire, no tocante ás listas do P.S.

1 - O meu currículo público reza que fui militante do Partido Socialista em Castro Verde e em Castro Daire. Que fui membro das comissões políticas concelhias locais, até me retirar voluntariamente do aparelho partidário, por razões que tornei públicas na imprensa local. Saído assim do aparelho, nem por isso deixei de sofrer com as derrotas do meu partido e de me alegrar com as vitórias dele, ao nível local, ou nacional. E os quilómetros de escrita dispersos pela imprensa confirmam esse ideário político assumido por convicção, assente nos valores doutrinários preconizados, onde cabem a Liberdade, Igualdade e Fraternidade, a Seriedade e a Ética Republicana. Mostram que, abdicando eu de possuir um cartão com o símbolo do punho fechado, plastificado ou não, não me descartei, por não ser descartável, desse ideário que, com raízes alma transpira à flor da pele ao longo dos anos

2 - Diferentemente das eleições autárquicas passadas, neste ano de 2013, visando dar o meu contributo à eleição daqueles que, em meu juízo, seriam os melhores candidatos, «postei» vários comentários de opinião na minha página do Facebook e na página do «PS Castro Daire», do «PS Mamouros/Alva/Ribolhos», parecendo-me que fui bem sucedido nas opções tomadas, pois vi eleitos os candidatos por quem torci, assim, ampla e publicamente. Nos que votei e nos que não votei. Contados os votos, verificada a vitória do Partido Socialista, eu podia sentir-me feliz, cantar hossanas e cumprir o ritual dos parabéns, dos beijinhos, dos abraços e apertos de mãos, palmadinhas nas costas, etc. etc.. Não. Não fiz isso. O meu tempo de colar cartazes, de acenar com bandeirinhas, de distribuir canetas e quejandos, passou. Militante no activo fiz tudo isso, mas sempre repeli as vénias e bajulações daqueles que mais não sabem e mais não fazem do que isso neste Democracia que se instalou em Portugal.

3 - E por este contentamento de vitória expresso no Facebook me ficaria, neste meu rescaldo das eleições, de 2013, se não houvesse algo mais que contribuiu para que o «ego» deste humilde cidadão, retirado das lides políticas, inchasse até mais não. Coisa inesperada. Nunca vista. Coisa que eu, aos 74 anos de idade, jamais imaginaria que acontecesse, após 40 anos de DEMOCRACIA, próprias do tempo dos caíques e atitudes conexas. O caso foi que, ao meu regozijo e alegria da vitória socialista, juntou-se, de repente, um folheto de propaganda política, onde a minha fotografia e um texto a mim atribuído foram impressos a cores, ao lado de figuras gradas da politica local e nacional, nomeadamente, o deputado à Assembleia da República, Dr. Acácio Pinto, o ex-deputado Dr. Miguel Ginestal (professor de quem fui orientador pedagógico), o Engenheiro Saúl Ferreira, ex-vereador do Executivo Municipal, dois colegas meus professores, Dr. Gonçalo Ginestal, Dr. Sebastião Pereira, e o senhor Carlos Rocha, ex-presidente da Junta da Freguesia de Mões, todos a subscreverem «MENSAGENS DE APOIO» ao candidato a presidente daquela Junta de Freguesia, pelo PARTIDO SOCIALISTA. Candidato que ganhou, por larga margem de votos, aos seus opositores do PSD e do CDS.

Tudo conjugado, pois, para eu viver uma semana de felicidade pessoal. Só que, nestas coisas da política, como em tudo, não «há bela sem senão». Há que haver seriedade. E este «SENÃO» não pode ficar sem protesto e denúncia pública. O candidato (cujo nome me recuso a escrever intencionalmente nesta crónica) com quem falei, se tanto, duas ou três vezes na vida, sem comigo falar nem me contactar por qualquer meio para o efeito, usou o meu nome, a minha fotografia e um texto de opinião a seu favor, como se fora pensado e escrito por mim. É FALSO. E isso não se faz. O candidato, ao proceder assim, revelou a sua falta de carácter, de seriedade e de ética. E eu que exprimi a minha opinião pública, a favor de alguns candidatos na minha página pessoal do Facebook e na página colectiva do «PS Castro Daire» não disse uma letra sobre esse candidato, como facilmente o mundo facebookiano pode confirmar.
(Continua)

De Anónimo a 03.10.2013 às 23:03

E os da lista do PSd? Na escola só alguns professores tem privilégios. Os amigos do director. Esses escolhem os professores para os filhos

De Intruso a 07.10.2013 às 16:16

Senhor Dr. Abílio teve a coragem de colocar este texto no facebook , porque não teve a coragem e refugiou-se no anonimato aqui? Porque não denunciou esse panfleto com o seu nome antes das eleições? Deixou que o candidato ganhasse e depois publicou?

De amigo a 02.10.2013 às 18:53

Devo aqui dizer que as listas do ps deste ano são bem melhores do que á 4 anos. Juntaram-se ás listas o sr leonel e o meu amigo joão marcelino e a lista da junta também é boa com o sr amaro das finanças e com o meu amigo fernando alburqueque. Tem mais qualidade.

De Anónimo a 03.10.2013 às 10:51

o joao marcelino é sem duvida o melhor... muito simpatico, mostra o sorriso para toda a gente, isto há cada um, o sr. Leonel sim, esse senhor dá(deu) votos...

De Anónimo a 02.10.2013 às 15:18

A verdade é que ninguém estava à espere deste resultado. Haverá, hipoteticamente várias razões cumulativas para o desaire do PSD: Cabeça de lista "suspeito nas intenções"; restantes elementos, muito fracos (não acrescentavam nada); projecto inexistente. Em suma, pouca credibilidade.
O PS usufruiu das fraquezas do PSD; das promessas; das manipulações "da casa do povo"; da realização das obras, mal ou bem, feitas; da anomisidade que alguns candidatos do PSD tinham na vila.

De Juventude a 02.10.2013 às 12:29

Dizem que o Fernando só tem os votos dos velhotes!!! Para os mais distraídos, ele conseguiu ganhar em quase todas as mesas dos jovens! Será que estes também querem uma reforma!? O PSD criou a ilusão em alguns militantes que estava tudo ganho, era Castro Daire, Reriz, Parada, Cabril, Picão, etc... Estes dados são a provas que o PSD bateu no fundo, pois esteve a 102 votos do 5-2! Dr. Zé, teve um mau resultado, força para o novo cargo que se aproxima!

De Jovem a 02.10.2013 às 16:13

O Juventude está a provar mais uma notória falta de conhecimento da realidade de Castro Daire!
Não houve mesa dos mais jovens, devido a várias alterações no caderno eleitoral devido a alterações de moradas e não só a população idosa votou em todas as mesas e isso já aconteceu na legislativas.
Tanta ignorância conveniente!

De Observador a 02.10.2013 às 17:31

Qual vai ser o cargo do Zé (que agora já é Dr.)? Ainda não observei nada????

De velhinho a 02.10.2013 às 22:56

Moço, ou Moça. A teu comentário não é ainda mais ridículo porque, de facto, também a candidatura do psd não valia uma peva!
Agora, haver jovens, como tu, que se revejam num presidente de câmara como o Sr. Fernando Carneiro, leva-me a pensar que o meu concelho só tem aquilo que as suas gentes jovens merecem!

De Anónimo a 03.10.2013 às 10:35

É lógico que ganhou nos velhotes (por causa das reformas) e claro que ganhou nos jovens (com as promessas de emprego).

De Anónimo a 03.10.2013 às 18:44

Ao nivel de promessas de emprego também o candidato do psd foi um grande vencedor.

De Italiano a 02.10.2013 às 01:10

Buona notte Dr. Zé,
permette di scrivere il seguente:

Desde o primeiro dia que todos sabíamos que o Aveleira seria para se queimar, não vale a pena andarmos a arranjar desculpas! Sabíamos que o Giroto queria o poleiro, mas permitiu que o Aveleira fosse candidato, mas ele é que mandava! Começou a campanha cedo de mais, cansou o eleitorado, mostrou que interesse era maior que a vontade de servir! Depois houve as sondagens tendo este mais votos que o fraco diretor da escola, o diretor inconformado, fez a sua lista. Quem não se lembra do seu discurso de chico esperto, onde afirmava que a lista da Assembleia era melhor que a Câmara, chegando mesmo a dizer a algumas pessoas que só iria fazer campanha para as aldeias para daqui a 4 anos o caminho ser mais fácil... no entanto dava grande elogios em público, chegando demagogicamente a dizer que o Abeleira era o Ruas de Castro Daire. Ele dizia que tinha que o apoiar, pois daqui a 4 anos o Abeleira tinha que dizer bem dele... quem for burro que estude!

O Márcio foi uma má escolha, pois tem uma má reputação e o Abeleira sabia disso, mas o Márcio é chico esperto e estava na linha da frente para ganhar as eleições na secretaria. Quem nasce torto, dificilmente se endireita. ganhou por 8 votos ao Carneiro na terra dele, teve menos votos do que Assembleia, pois esse discurso de dizer que o votam tudo no mesmo é errado e os dados comprovam, resultados bem diferente nas juntas e para a Câmara, mas dá jeito dizer isso, assim como dá jeito falar dos velhotes, mas vê-se que até nos jovens ganhou!

A Catarina, foi a que mais ganhou, a miss simpatia da campanha, lá se orientou para as escolas, pois o diretor teve que cancelar o concurso para a miss e a mulher do rebenta poder entrar, claro que abriu o leque a mais pessoas, inclusive, fora do concelho! Levou uma derrota histórica em Mões, pois lá nem a familia dela nem do ex vereador votaram PSD, apesar de estar lá a familia do ultimo!


O Vitinho deve estar a dormir, pois levou uma derrota histórica no seu reinado, sabemos que o paulinho deu-lhe o troco, pois o mesmo fê-lo perder à 4 anos! mais uma vez o povo distinguiu entre junta e Câmara e não foi só nos velhos!

O das fotos, como já foi dito, pensava que a rádio lhe dava votos, mas o povo sabe ver os interesse pessoais e deu-lhe uma grande nega! Ao menos ganhou centenas de euros na propagando!

A Quininha, era vista como uma mais valia, mas as sondagens dizem tudo! Para daqui a 4 anos ela está de volta!

O Bruxo, já perdeu muitos clientes, pois afinal é um aldrabão, na medida em que dizia que as cartas davam a vitoria ao Abeleira!


A lista da super assembleia, mostrou que afinal é muito fraca ao contrario do que fizeram passar e muitos da lista da camara não votaram para eles não terem muito votos a mais!

Quando nem na terra o Aveleira não ganha,,,, coitadinho!

Hoje o diretor já afirmou que irá lutar pela comissão politica, vamos lá ver os apoios que consegue, mas ele é espertalhão e vai dar a volta aos outros!



vá Zé, não escrevas em italiano!

De o felizardo a 01.10.2013 às 23:18

devo acrescentar que leio o este blog com atenção, assim vou podendo saber o que se passa, os das aldeias não sabem nada sobre o que se passa verdadeiramente na vila e sobre estas poucas vergonhas. Votam mas é naqueles que lhe vão dar palmadinhas nas costas e prometerem coisas. obrigado pelo vosso blog e pela análise da vida de um concelho doente.

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2013

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031


Calendário


Posts mais comentados


Farmácias de Serviço


Links

Patriota XXI

Mões/Castro Daire

pfigueiredo

Conversas com o Imperador

Varanda Serrana

O Condado de castro Daire

Leukitanea

RochaVilaBoa

Conde de Mões 2

ave-cdr.blogspot.pt