Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

4 ESQUINAS

BLOG ONDE SE PODE E DEVE FALAR DE TUDO (SOBRETUDO O INTERESSANTE)



Domingo, 03.07.11

SERÁ SÓ FEBRE DO PODER…?

Na última edição do Jornal “Noticias de Castro Daire”, na sua 2ª página, ao fazer uma leitura rápida pela mesma, chamou-me á atenção uma convocatória para Assembleia Geral Extraordinária da Santa Casa da Misericórdia de Castro Daire a realizar no próximo dia 23 de Julho.

Na referida convocatória, concretamente, no seu ponto 2 dizia o seguinte: “Deliberação sobre o pedido da actual Provedora à sua candidatura a novo mandato como provedora nas eleições para os orgãos Sociais da Instituição a realizar no próximo mês de Dezembro para o triénio 2012-2014”.

Sobre este assunto, nos amontoados de pessoas que costumam conversar junto das minhas esquinas, tenho ouvido os mais variados comentários. Entretanto, nenhum tem sido abonatório, quanto à forma como este assunto está a ser tratado, nem tão pouco sobre o modo e a maneira como nos últimos anos a Instituição Santa Casa da Misericórdia tem sido gerida.

Fala-se por exemplo na maneira como a actual Provedora está agarrada ao poder, e a prová-lo está o facto de querer ser candidata a novo mandato, quando já fez dois como Provedora e uma infinidade deles como membro da direcção. Perguntas, muitas, têm ficado no ar, mas infelizmente, sem resposta, tais como:

Qual o interesse de se querer manter no poder?

Que benefícios, em termos de obras, fez a actual provedora desde que assumiu o cargo?

Há quanto tempo já foi o subsídio aprovado para a realização da obra no Mosteiro e até agora nem uma pedra lá foi colocada?

Qual o motivo, pelo qual, em vez de privilegiar e ajudar as Instituições Castrenses, concretamente os Bombeiros Voluntários de Castro Daire e Farejinhas, tem ultimamente entregues os serviços de transporte de doentes a uma firma privada de ambulâncias?

Qual o motivo, pelo qual a grande maioria, para não dizer a totalidade dos medicamentos, necessários para os doentes têm sido adquiridos numa só farmácia do Concelho, quando sabemos existirem 5?

Qual o motivo, pelo qual o médico que há longos anos, prestava assistência nas valências da Santa Casa foi substituído?

Qual o motivo, pelo qual a enfermeira que há longos anos prestava serviço para a Santa Casa foi substituída?

Qual o motivo, pelo qual, os utentes da Santa Casa, quando necessitam de exames médicos a clínica escolhida é quase sempre a mesma?

Qual o motivo, cada vez mais frequente e publicamente, as funcionárias da Instituição não se inibem de criticar a actual direcção pela falta de respeito para com as mesmas?

Eu, cá no meu posto de observação e escuta, vou ouvindo, pensando, analisando, e concluindo que, no Concelho de Castro Daire, cada vez mais as Instituições, quer as de Solidariedade Social, quer as outras, servem apenas para serem “feiras de vaidade” e “trampolim de Status”, para quem as dirige, esquecendo-se, no caso da Santa Casa da Misericórdia que o lema e divisa da mesma está consagrado em diário da república e deverá, por quem as dirige ser cumprido. Infelizmente, e nos últimos tempos, cada vez mais sobre isso tem sido feito “tábua rasa”.

Provavelmente actual direcção e essencialmente a actual Provedora já, pelo menos uma vez, devem ter lido o diploma régio da “sua” Instituição. Mas como, fica a dúvida sobre tal certeza, vou passar a transcrevê-lo:

“O principal objectivo da Santa Casa da Misericórdia é a satisfação das necessidades de alimentação, alojamento, higiene e saúde dos mais carenciados. Mas a sua intervenção não termina aqui, uma vez que previne a exclusão através da promoção da integração social. Promover o bem-estar da população idosa é também uma das missões desta Instituição”.

Penso, ainda, que é seu dever continuar atenta aos graves e novos problemas sociais que afectam a nossa sociedade, dando as mãos a todos e às instituições que trabalham pelo bem comum e defendem projectos de solidariedade, principalmente às que estão inseridas no mesmo Concelho.

 

Zé da Esquina

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé da Esquina às 23:11


43 comentários

De Avé Cdr a 11.07.2011 às 11:48

Caro(a) João:
1º - As funcionarias podem dirigir-se á ACT se os direitos violados forem relativos ao Trabalho. Mas mais importante é obterem apoio junto de outras pessoas, para como testemunhas apoiarem as suas pretensões.
2º - Se o assunto for documentavel, devem obter documentos da sua posição e, mais importante, testemunhas corajosas.
3º - Tem razão em relaçao a irregularidades nas assembleias electivas anteriores, mas a verdade é que se não avançou com outras posiçoes devido ás decisões de pessoas ligadas á candidatura que não foi a votos.
espero ter sido esclarecedor (ave.cdr@sapo.pt)

De João a 10.07.2011 às 14:32

Havendo estes espaços para as pessoas exprimirem a sua opinião, deveriam também servir para esclarecer, poderiam aproveitar para esclarecer os seguintes pontos:
- Onde se devem dirigir as funcionárias quando seu direitos são violados?
- Como combater as “alegações” que arranjam com o apoio de meia dúzia funcionários, que tudo fazem para manterem o seu “estatuto” e “regalias”?
- Como podem estas, ter coragem, sem medo de perder seus empregos quando nas últimas eleições houve alegadas ilegalidades, tais como, procurações duvidosas a serem distribuídas, propostas de irmãos que não foram admitidos, curiosamente pertencentes à lista adversária e ninguém (com legitimidade) teve a coragem de tomar uma atitude?

De Avé Cdr a 09.07.2011 às 15:06

Caro(a) Oia, oia... Kandas a fajer?:
Creio que percebeu mal o meu ultimo comentário.
Eu reconheço-lhe a capacidade de ser incisivo e irónico. Só nao considero que nao foi, nem podia ser ofensivo porque encaro o seu texto uma mera opinião, demasiado genérica, demasiado comprometida e demasiado oculta, para ter a capacidade de insultar e/ou afectar qualquer outra.

Esclarecido isto, convenhamos o nosso primeiro comentario, nada trás de novo á discussão iniciada pelo nosso(a) amigo(a) Zé.
O meu comentario é evidenciar o que aborda o(a) Zé e reforçar a ironia, nada mais...
O seu comentário nada contribui para reforçar as ideias expressas no post ou sequer infirma-las. É ironico, sim senhor, mas argumentação (quanto ao tema em causa) nada. Limitou-se a querer menorizar a opinião dos outros, sem contudo rebate-la. E continuou a ser assim (constato-o apenas sem nenhum sentimento ou vontade de minorar a sua opinião) pois cada um tem o direito de dizer o que quer, como quer e quando quer...
Ora é a sua opinião, respeito-a, sem com ela concordar e sem me privar de lhe responder e/ou criticar... é a vida...

Uma ultima referencia ao \Avé\mos papa.
Obrigado pela ironia, mas enganou-se na seta, por sou mais pela viragem á sinistra.

Sr. F obrigado pelas palavras de alento e bem o compreendo no temor (embora, com o devido respeito, considere que as coisas só persistem devido a esse mesmo medo)...

De Meio Século Existência a 09.07.2011 às 02:12

Respondendo ao maior POETA Castrense deste blog (Kandas a Fajer), aqui vai de POETA para POETA:

“Talvez não tenhamos conseguido fazer o melhor, mas lutamos para que o melhor fosse feito. Não somos o que deveríamos ser, não somos o que iremos ser… mas Graças a Deus, não somos o que éramos.”
“Martim Luther King”

A todos os Irmãos da Santa Casa da Misericórdia, está nas nossas mãos mudar esta tendência inútil de tirar proveito próprio de instituições de carácter social, por isso, peço a todos os Irmãos que no próximo dia 23 de Julho compareçam na instituição referida anteriormente a fim de votar em consciência e sem medos, pois a diferença entre uma democracia e uma ditadura consiste em que numa democracia se pode votar antes de obedecer às ordens.

“ O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem carácter, dos sem ética… o que me preocupa é o silêncio dos bons.”
“Martim Luther King”

Para finalizar deixo este pensamento:
Podem enganar alguns por todo tempo, todos por algum tempo, mas não podem enganar todos por todo tempo…


Meio Século Existência

De Oia oia... Que andas a Fajer ?! a 09.07.2011 às 02:10

Porque me parece que estamos a chegar a um ponto de concórdia, gostaria que tomassem como ultimo este meu comentário, sem qualquer tipo de ironia!

Foi exactamente a opinião que deu sobre a minha intervenção, salvo alguma diferente interpretação, que eu quis aqui expressar mas que alguns comentadores, infelizmente, não a entenderam como tal. Uma boa forma de compreenderem este modo de comunicação é lerem o Inimigo Publico, claro está com as devidas diferenças artísticas. :)

Qt ao comentário do sr Ave CDR:
Sim, quis ser agressivo, não no sentido de querer ser violento mas sim lutar convictamente pelos meus propósitos ( no caso, objectivos) com os pés bem assentes na Terra e respeitando sempre todos os demais. alias, se toda a gente fosse mais agressiva na forma como lida com a vida talvez Portugal fosse mais competitivo neste momento. Tal como foi o meu objectivo e o sr Ave CDR concordou , não fiz juízos de caracterização pessoal de ninguém uma vez que fui muito genérico e pouco incisivo na abordagem que fiz, utilizando as suas palvras. Penso que neste ponto entrou numa contradição na sua apreciação. Como poderei ter insultado alguém se na realidade e com a sua concordância eu não fui incisivo, mas antes inespecifico?!
Outra coisa, ser irónico não impede que se seja ofensivo, no meu caso, agressivo.
A razão por não ter sido incisivo nos meus comentários passam pelos objectivos que tinha na minha intervenção.
Apesar de reconhecer a importância dos blogs no campo da critica e troca de opiniões, penso que questoes desta dimensão e importancia não poderao ser devidamente discutidas neste tipo de formato de comunicação! Não querendo com isto dizer que não se deva apontar o dedo quando assim o acharmos ( daí ter achado pertinente, como referi no meu primeiro post, as questões levantadas).
Por ultimo queria dizer ao sr Ave CDR ( reforço, sem qualquer tipo de ironia) que não duvido da sua seriedade, so não concordo quando fala só de sérios argumentos porque na realidade o sr tambem falou de juízos pessoais, como saberá melhor que eu, o meio utilizado(a argumentação) não é propriamente o fim (o juízo).
De qualquer das formas, na sequência do comentário do anónimo F, sabe bem que é sempre um prazer discutir consigo.

Abraços e agora é de vez =)

De \"Avé\" mos papa a 08.07.2011 às 21:57

Zen !!!! Tanto complexo de inferioridade? Assim estragou tudo. Ate Tava a gostar de assistir a isto

Ave cdr - um homem verdadeiramente às direitas

Oi oi kandas a fajer - tambem não deves andar muito longe

De Avé CDR a 08.07.2011 às 10:12

Caros comentadores e leitores:
Para que conste, não emiti ainda qualquer mandato para que, em meu nome, me defendam e/ou me representem, perante qualquer outra pessoa ou pseudónimo. Cá estou eu para me defender, querendo.

Caro(a) Oia, oia... Kandas a fajer?:
Não vim á liça antes porque considero o seu texto uma mera opinião, demasiado genérica, demasiado comprometida e demasiado oculta, para ter a capacidade de insultar e/ou afectar qualquer outra.
Mas dado o desenvolvimento das conversas e comentarios, alguns bem desagradaveis para si (para muita consternação minha, pois uma coisa é a capacidade de ser incisivo e irónico e outra é ser ofensivo), nao posso deixar de tecer alguns comentários aos seus ditos (se o(a) caro(a) Zé me permitir).

Em bom rigor e com o devido respeito, em nada os seus comentarios contribuiram para a discussão dos temas em causa.
E era tão fácil (em tese) fazer de modo diverso!
Bastaria argumentar factos que invalidassem a opinião dos outros. Como?
Bastaria desmentir o facto de, até hoje, só por uma vez a Mesa ou parte dela, pedir a continuação no cargo, depois de ultrapassados limites legais de mandatos.
Bastaria desmentir que, depois de dois proprietários de farmácias apoiarem duas candidaturas diversas, a Mesa Eleita ter passado a adquirir os medicamentos e outros produtos, somente, na farmácia do apoiante dos vencedores e ter passado a atribuir o transporte de doentes a uma entidade privada com fins lucrativos e não á entidade presidida pelo dono da farmácia concorrente.
Bastaria desmentir o facto de técnicos qualificados e habilitados terem sido substituídos, depois de ter apoiado uma candidatura concorrente e sem uma razão aparente.
Bastaria desmentir o facto de existir uma pessoa que, sem ter habilitações para tanto, se identifica, perante familiares de utentes, auxiliares de hospitais e elementos do INEM, como enfermeira sem o ser (para que não restem duvidas asseguro que tal assunto se encontra já no domínio próprio, ou seja, que foi já comunicado às autoridades judiciais).
Bastaria desmentir o facto de as funcionárias da Santa Casa continua e (cada vez mais) publicamente criticarem determinadas actuações, condutas e imposições, provindas, ao que parece, de quem as dirige.
Não será facil obter argumentos nesse sentido mas, em tese, podia proceder de modo diverso. Não o fazendo parece ser presa fácil de detractores desrazoados, não acha?


Termino com umas palavras para si (mas tambem para outros comentadores mais atentos):
É certo, que este tipo de espaços não é o mais correcto para discutir certos e determinados assuntos. Parece ser demasiado ocupado por pseudónimos.
Mas, por outro lado, é, efectivamente o espaço mais público que permite a discussão desses assuntos que, de outro modo, ficariam no segredo de gabinetes e assembleias, pouco ou nada frequentadas.
Quem lhe disse que o que aqui, jocosamente, evidenciei, não foi já discutido em sede própria?
Irresponsabilidade cívica, democracia mascarada, crónica incompetência! Temos pena, mas a verdade é que, pelo menos, este comentador vive e age, publicamente e sob pseudónimo, do mesmo modo.
Ele é irmão, sócio, cooperante, membro de órgão de pessoa colectiva, cidadão, profissional e comentador interventivo, combativo, critico e auto-critico, na medida do que pode e sabe, perfeccionista.
Pode eventualmente falhar, mas ainda não falhou, social, familiar, pessoal e profissionalmente.
Mas a verdade é que alguns (como me parece ser o seu caso) tomam a nuvem por Juno e, não sei porque motivo, em vez de demonstrar o erro nos argumentos (se os houver), se limitam a dizer que estão errados ou deviam ser silenciados, sem nunca explicar porquê.
É a vida!

De zen a 08.07.2011 às 16:50

Bem.. quando vocês começam com esses palavreados pseudo-intelectuais.. querendo mostrar-se, forçosamente, superiores uns aos outros, acabam por estragar aquilo que, na minha opinião, é o objectivo e dá piada a blogs como estes.

De Avé Cdr a 08.07.2011 às 19:57

Nem superior, nem inferior... apenas (pelo menos eu) apenas me expresso de forma a dizer que respeito a opinião de todos os outros, mesmo que com ela não concorde... Não quero que me defendam, pois ainda sou capaz de tanto... Não menosprezo a opinião de ninguém, mas também não sou capaz de aceitar o desaforo, o insulto e o recurso a generalidades, para minorar a argumentação de outrem... ITento sempre utilizar argumentos de que tenho conhecimento pessoal e mesmo que ironize, procuro ser sério na argumentação... Isso faz de mim um intelectual (ou pseudo-intelectual)? Não me parece, mas isso sou só eu... Os blogues são para ter piada? As vezes sim, outras vezes nem por isso, mas mais uma vez isso sou só eu... Não gostou da minha resposta, temos pena! É a vida!

De F a 08.07.2011 às 22:14

Sr. Avé Cdr deixe que lhe diga que gosto de seus comentários e da maneira como são elaborados.
Tambem lhe posso dizer que é muito atento ao que se passa, alem de comentar quando sabe do que está a falar.
Eu não me posso alargar muito em meu comentário em relação à Santa Casa da Misericórdia, pois haveria muito mais a falar, só que é impossível, porque já não é fácil para quem lá t... então se falasse a vida de alguém, tornar-se-ia um inferno (se é que já não se possa considerar como tal) está entender? Concordo consigo, em relação às páginas de internet, pois é uma forma da populaçao saber algo de que de outra maneira seria impossível.
Avé CDR obrigado!
Obrigado ao quatroesquinas por se lembrar de fazer um texto sobre este tema, agradecia que continuasse atento a este assunto.

De Cibernauta a 08.07.2011 às 00:59

Kandas a Fajer segundo palavras suas que passo novamente a citar "(com a agravante de ninguém se identificar, pomposamente falando, Democracia Mascarada)" também o está a aplicar a si, pois também tem medo de se identificar!

Ah pois é! É a democracia que tanto apregoa que a faz comentar atrás de um anonimato.

Apesar de ser mais bem educada(o) neste ultimo comentário, não esclareceu em nada sobre o que aqui se tem falado!( Os camaleões mudam quando lhes é conveniente). Nada abona o caracter depois de seu primeiro comentário. Desculpe tal observação, mas como vivemos em democracia, uns dos direito que me assiste é a liberdade de expressão. Tal como voçê, estando eu atráz do anonimato, não irei sofrer represálias, modalidade essa, usada com frequência...

Palavras suas: " AGORA,
dizer que há pessoas sem habilitações obrigatórias para certos cargos;
acusar pessoas de exercerem ditadura, usurpação de poder;
de terem interesses estritamente pessoais no usufruto do associativismo;
entre muitas outras que foram aqui referidas...

Não me diga que não sabe nada disto?! Estranho!



De Anónimo a 07.07.2011 às 22:27

Num blog lucal.
"Neste tempo de austeridade e de dificuldades até para os bancos, devia haver alguém na Câmara com juízo para que não se gastasse dinheiro tão mal gasto em obras de encher o olho como são algumas de Castro Daire e a burricada que está a ser feita nas Termas do Carvalhal. No Carvalhal as obras também devem prever uma estátua de homenagem aos burros e jumentos. O que está a dar são burros e jumentos e aqueles que os aparelham.
Neste tempo dos santos populares não faltam pimentos mas têm faltado tomates para pôr na ordem o Ernesto e o Fernando que fazem pouco dos homens mas não fazem pouco de algumas mulheres. Têm aparecido umas "Marias da Fonte" que sem pimentos e sem tomates os têm posto no sítio. Parece que funcionou a pá do forno mas também o ferro e a picareta e o Ernesto e o Fernando ficaram com a crista murcha e os lancis até pularam na avenida aqui mesmo ao lado do hotel.No outro lado da Avenida apareceu outra "Maria da Fonte" a batalhar com o Ernesto por causa de umas escadas. Estiveram para andar á bulha e ainda veremos quem ficará por cima. E se vencer a "Maria da Fonte"? O Ernesto que gosta de ser galo, fica galado.E com estas e outras "Marias da Fonte" ainda se vai habituar e isto vai do começar. Eh! Eh! Eh!"
in://ecosdopaiva.blogspot.com/

De Perguntão a 08.07.2011 às 20:52

'Anónimo' apoia 'Anónimo'?

De Kandas a Fajer!? a 07.07.2011 às 14:30

Finalizando a minha apreciação sobre tudo isto que por aqui se passa, uma vez que já ninguém consegue trazer algo interessante para o debate, finalizo, com mais uma sátira, (para que se entenda) a minha intervenção.

Insultos são:
Gozar com a argumentação dos outros ;
Dizer que essa argumentação é tudo menos coisa boa, comparando-a com o nível das conversas de fundo de rua à noite;
Tecer comentários sobre algumas pessoas k postam neste tema para que uma dessas mesmas pessoas possa extrapolar para a comunidade castrense todas as minhas apreciações;
tentar apelar ao bom senso e responsabilidade cívica para que as pessoas não acusem sem fundamento de causa, porque uma coisa é colocar dúvidas outra é acusar apontando o dedo (com a agravante de ninguém se identificar, pomposamente falando, Democracia Mascarada).

Isso sim, aquilo que fiz, são praticas de verdadeiro insulto.

AGORA,
dizer que há pessoas sem habilitações obrigatórias para certos cargos;
acusar pessoas de exercerem ditadura, usurpação de poder;
de terem interesses estritamente pessoais no usufruto do associativismo;
entre muitas outras que foram aqui referidas...

A isto já não se chama Insulto mas antes uma \"Simples Opinião\" de um castrense em plena época de ditadura local.. Lolololol
Parafraseando: \"e o burro sou eu?!\". Ora e não é que sou mesmo! =) (espero que não entendam isto como um auto-Insulto para que não pensei que também sou um \"auto-ditador\"... Mas é que eu sou mesmo burro)
E nunca se esqueçam, num Estado Liberal e Democrático \"Quem não deve não teme\" usem isto a vosso favor!

Nota: apenas respondi pelas minhas afirmações, postadas sempre com o mesmo nome, para evitar que as minhocas andem à pesca!

Para que percebam:
Nunca brinco com coisas sérias mas adoro brincar falando de coisas serias!

Divirtam-se

Comentar post


Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2011

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31


Calendário


Posts mais comentados


Farmácias de Serviço


Links

Patriota XXI

Mões/Castro Daire

pfigueiredo

Conversas com o Imperador

Varanda Serrana

O Condado de castro Daire

Leukitanea

RochaVilaBoa

Conde de Mões 2

ave-cdr.blogspot.pt