Sábado, 5 de Setembro de 2009

FICÇÃO OU REALIDADE ?

 

 O blog 4 esquinas, com o intenção de informar todos os seus leitores, neste período eleitoral que se aproxima, enviou um e-mail aos 4 candidatos a Presidente da Câmara Municipal de Isca da Torre.

Como é do conhecimento público, os candidatos para esta autarquia serão 4. A saber: Dr.ª Leucádia Boavida, Dr. Pasmaceiro Lento, Dr. Atavides Morteiro e Dr. Flausino Borracho. Todos, amavelmente, acederam ao desafio lançado e passados, que foram, 3 dias, recebi na minha caixa de e-mail, as respostas às perguntas por mim formuladas.

De mencionar, também, que por uma questão de manter isenção e neutralidade, em relação às futuras eleições, entrevistamos os candidatos de um concelho distante, ou nem por isso….

As perguntas foram iguais para todos os candidatos e são as que a seguir transcrevemos com as respectivas respostas anexadas.

 

1ª Questão: Como surgiu o vosso interesse pela política em geral e em particular?

Respostas:

Dr.ª Leucádia Boavida: - Eu interessei-me pela política há cerca de 1 ano. Resolvi, candidatar-me a presidente de Câmara do meu município, porque sou empresária em nome individual e estava, até aqui, a gerir um negócio de venda e comercialização de giestas. Como consequência da crise económica e dos fogos que têm arrasado a nossa região, há cada vez menos matéria-prima e, também, para lhe dizer a verdade eu não tenho grande apetite para o trabalho. Acho que na política está o meu futuro ganha-pão.

Dr. Pasmaceiro Lento: - O meu interesse pela política começou em 1984. Nessa altura exercia a profissão de advogado. Mas, na verdade, cada vez tinha menos clientela e alguns deles não pagavam. Um primo meu, afastado, convidou-me para a vida política e olhe, aproveitei e cá estou até hoje. Fiz um grande sacrifício, pois gostava bastante da advocacia, mas faço politica por amor e como tal não me custa nada.

Dr. Atavides Morteiro: - Eu não me interessava nada pela vida política. Só comecei a interessar-me quando alguém me disse que isto era uma profissão com bastantes benefícios. Afirmo-vos que contrariamente a muitos dos meus adversários políticos, eu, não estou aqui, como candidato, pelo dinheiro. Eu sou um candidato que vou mais ao fundo da questão. Preocupo-me com o futuro. Por isso, concorro a presidente da Câmara para não ter que esperar até aos 65 anos para me reformar, como acontecia com a minha profissão de assalariado por conta de outrem.

Dr. Flausino Borracho: - Eu e a minha mulher, sempre fomos muito interessadas pela política. Não há partido político que não nos interesse. Todos eles têm cores interessantes. Agora vou concorrer por este, mais poderei, num futuro, ser candidato por qualquer outro. Concorro a presidente, acima de tudo para poder mandar. Actualmente não mando nada, mas se for eleito passarei a mandar em todos, menos na minha mulher. Mas isso é o que menos interesse tem. Eu quero é ser presidente!

 

2ª Questão: A vossa vida particular é, ou não, prejudicada por se terem dedicado á política?

Dr.ª Leucádia Boavida: - Olhe, eu, sou solteira, muito desimpedida, muito dada e ao mesmo tempo muito aberta a todos os candidatos venham eles do quadrante político que vieram. Por isso a minha vida particular em nada sai afectada. Em suma, a minha vida particular confunde-se com a minha vida política. A minha maior preocupação, e isso acho ser o mais certo para o meu relacionamento, tem a ver com a apresentação, que eu sempre exijo às pessoas que comigo se relacionam, quer política, quer particularmente. Estou a referir, concretamente, o seu currículo e o seu extracto bancário.

Dr. Pasmaceiro Lento: - A minha vida particular é bastante, eu proferiria mesmo muitíssimo, prejudicada por eu ser político. Já viu o que é praticamente não almoçar nem jantar em casa? Todos os dias sou “abalroado” com convites para almoçaradas ou jantaradas! A minha família é que perde! Praticamente só almoçam ou jantam comigo quando também são convidados, ou se fazem de convidados. Eu às vezes levo-os comigo e eles também “dão ao serrote”. Sabe como é, depois de lá estarem ninguém manda a família de um político influente como eu embora sem trincarem qualquer coisinha!

Dr. Atavides Morteiro: - Não! De maneira nenhuma! A minha vida particular e familiar em nada sai lesada por eu ser político. Digo, desde já, que se for, como espero, eleito presidente da Câmara do meu concelho, a minha família, primos em 3º grau, incluídos, irão todos os dias almoçar e jantar comigo. Logicamente, meterei as despesas em ajudas de custo. Assim como entram também nessa lista algumas despesas nocturnas que eu costumo fazer com os amigos. Afinal de contas a minha vida particular não pode, nem deve ser alterada, só porque eu passo a ser presidente! Se calhar, talvez tenha de me esconder, mais um bocadinho, principalmente á noite. Mais isso é um caso a pensar.

Dr. Flausino Borracho: - A única alteração na minha vida particular e familiar, se eu for eleito, será deixar de lavar a loiça lá em casa e de aturar a minha mulher de manhã á noite com aquela gritaria toda “Ò Flausino faz isto, ó Flausino faz aquilo.”.

 

3ª Questão: Foi por iniciativa própria ou por vontade e a pedido do partido que se tornaram candidatos a presidente de câmara?

Dr.ª Leucádia Boavida: - Foi por minha própria iniciativa que me candidatei. Havia muitas pessoas do meu partido que não viam com bons olhos a minha candidatura. Mas como eu acho que ninguém é mais competente que eu para desempenhar tais funções, fiz finca-pé e consegui marcar a minha posição. Posso até dizer-lhe que já tinha jurado, que caso não fosse eu a escolhida para candidata, ficaria 4 anos, os mesmos que duram o mandato, sem tomar banho. Queria ver se algum membro do meu partido tinha coragem de se aproximar de mim!

Dr. Pasmaceiro Lento: - Eu até nem queria! Até acenei, ainda que levemente, com a cabeça uma vez a dizer que não. Mas um homem derrete-se todo quando está em causa a sobrevivência dos outros. Neste caso a sobrevivência da minha família e a minha incluída. Eu pelos outros faço tudo! Mas impus uma condição – Se for eleito só cumpro no máximo 3 mandatos. Depois arranjem outro.

Dr. Atavides Morteiro: - Claro que fui eu que me propus a mim próprio! Tenho sido sempre candidato, e com bons resultados, embora nunca tenha sido eleito. Porque razão não haveria de ser eu mais uma vez? Como diz o povo “pode ser que agora seja de vez”.

Dr. Flausino Borracho: - A mim disseram-me para dar o meu bilhete de identidade e assinar uns papéis e pronto foi o que eu fiz! Quando soube, até foi a minha mulher que me disse, já era candidato. Tudo se irá resolver! Vamos lá ver o que vai acontecer!

 

4ª Questão: Quais os projectos que apresentam para o desenvolvimento do concelho?

Dr.ª Leucádia Boavida: - O meu maior projecto, se for eleita, será colocar um candeeiro na sua esquina! Disso eu não vou abdicar!

Dr. Pasmaceiro Lento: - Eu sou muito mais competente que a minha adversária politica! Eu quando for eleito mandarei colocar 2 candeeiros nas suas esquinas e se governar com maioria absoluta até lhe mando fazer 4 esquinas novinhas em folha! Pode crer!

Dr. Atavides Morteiro: - Eu quando tomar posse vou fazer melhor que os meus colegas! Vou mandar electrificar as suas esquinas todas com holofotes de halogéneo e ainda vou mandar deitar abaixo todas as obras que foram executadas nos últimos 20 anos, para depois as mandar executar de novo e colocar o meu nome na placa de inauguração.

Dr. Flausino Borracho: - Eu ainda não pensei bem no assunto. Tenho que falar primeiro com a minha mulher!

 

5ª Questão: Na vossa perspectiva quais são as obras mais necessárias, no imediato, para o desenvolvimento do concelho?

Dr.ª Leucádia Boavida: - A obra mais necessária para o desenvolvimento do meu concelho é a construção de uma estação de comboios! Eu sei bem que no concelho não temos linha férrea para passar os comboios! Mas isso será, sem dúvida, a minha segunda grande  obra! Eu gosto muito de ver passar os comboios! Tenho que conseguir que isso seja uma realidade durante o meu mandato!

Dr. Pasmaceiro Lento: - Eu vou mandar, com urgência, construir um gabinete novo para o presidente da câmara! Já estive no actual e aquilo é lá um cheiro a mofo desgraçado! Não se pode lá parar! Precisamos urgentemente de um novo e mais ventilado!

Dr. Atavides Morteiro: - Então eu já disse isto nas últimas eleições! O que o nosso concelho precisa mesmo é de ..é de…de momento não estou a ver nada! Mas de alguma coisa há-de precisar!

Dr. Flausino Borracho: - Eu, não sei muito bem a que se está a referir! É aos papéis? Eu já os assinei! Olhe, já agora, eu posso levar também a minha mulher? È que ela precisa de fazer a depilação e de dar um arranjozito ao cabelo! Pode ser? Eu já assinei os papéis..

 

6ª Questão: Qual a primeira coisa que irão fazer, caso sejam eleitos, ao entrarem nos paços do concelho para se sentarem na cadeira do poder?

Dr.ª Leucádia Boavida: - Isso é uma decisão que já está tomada há muito tempo! Entro, pico o ponto, nem sei se o presidente também tem que picar! Será com o dedo? Depois volto a sair para tomar o pequeno-almoço, ou o lanche! Pois isso depende sempre da hora em que entrar ao serviço! Compreende?

Dr. Pasmaceiro Lento: - Ora bem! Eu entro, digo bom dia, em voz alta, para todos me ouvirem e verem que eu já cheguei e depois vou dar uma volta pelo concelho para ficar a conhecer a Isca da Torre! Pois conheço apenas por aquilo que tenho visto nos mapas.

Dr. Atavides Morteiro: - A primeira coisa que vou fazer é demitir aqueles tipos! Não estão lá a fazer nada! Isso é certo! Eh pá, mas afinal não pode ser! Senão depois não tenho em quem mandar! Olha, não sei, depois penso nisso! Já me esquecia! Também vou cumprir o que prometi no que se refere aos empregos para aqueles que votaram em mim! Não sei é quando! Mas eu não me esqueci!

Dr. Flausino Borracho: - A primeira coisa que vou fazer quando entrar na câmara será voltar a sair e ir dormir mais um bocadinho! Isto se a minha mulher não me arranjar serviços domésticos para fazer quando chegar a casa! Está bem assim? È preciso assinar mais papéis? Não? Está bem! Pronto…

 

Aos 4 candidatos as esquinas agradecem pelas entrevistas concedidas. Aproveito, também, para desejar boa sorte aos 4 candidatos e votos que ganhe o menos mau! Por aquilo que li nas entrevistas, palpita-me que o futuro presidente da câmara de Isca da Torre vai ser o Dr…o Dr…o Dr…queriam saber? Esperem pela noite de 11 de Outubro!

Eu cá, da minha esquina, continuarei atento ao desenrolar dos acontecimentos!

Nota: Estas entrevistas são pura ficção! Por tal motivo, qualquer semelhança com a realidade será apenas e só coincidência.

 

Zé da Esquina

publicado por Zé da Esquina às 23:58
link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De anónimo1 a 6 de Setembro de 2009 às 22:48
Lontra do Paiva pelos comentarios que fez até agora em todas as postagens , deduzi que é dos independentes. Se a vossa campanha é de ataques pessoais, não contem com a possibilidade de meu voto, não quero outro Sócrates em Castro Daire. Porque nunca disse o que está mal e poderia ser feito. Seus comentários são de "peixeirada" com todo o respeito que tenho pela classe. Devia andar mais a par do que se passa em Castro Daire, pois o que você disse é do conhecimento público há muito tempo e não viu nenhum comentário alusivo a esse assunto. Mas é assim que se vê o caracter das pessoas. Não pensam no concelho nem no futuro de Castro Daire, pois os argumentos que arranja para campanha são estes!


De Rosado a 9 de Setembro de 2009 às 12:09
Sou mais dos rosas.
Do partido do punho.


De anonimo1 a 10 de Setembro de 2009 às 13:21
Está com crise de identidade? Procure ajuda especializada!


De Rosado a 10 de Setembro de 2009 às 20:55
DR.
Também é psicólogo?


De Anonimo 1 a 10 de Setembro de 2009 às 22:57
Então já não quer ser lontra, resolveu ser rosado!
Lamento não poder ajuda-lo pois não sou psicólogo e muito menos faço parte de algum partido , para lhe resolver a sua questão do tacho.
Primeiro o Sr.era um personagem defensor de um partido pensando que daí saíria algo para seu proveito próprio, após pensar na possibilidade de não ter hipoteses resolveu encarnar a personagem de outro partido na esperança de algo.
A propósito já disse a quantos candidatos que podiam contar com o seu voto?
Já se intitulou de lontra ( o que acredito que seja), agora é rosado o que virá a seguir, tangerina ou erva daninha?


De Rosado a 11 de Setembro de 2009 às 12:34
Sr. Anónimo1,
Aprendi com todos aqueles que por lá passaram.o Sr. Dr. incluido.


De anonimo 1 a 11 de Setembro de 2009 às 18:03
Se algum dia lhe disseram que tinha o dom de adivinhar, mentiram-lhe. É melhor mudar de profissão, anda a enganar os clientes, pois até agora falhou em tudo sobre quem serei eu! Mas continue, pode ser que um dia consiga. Já agora sou Dr de quê Sr. lontra rosado?


De João a 6 de Setembro de 2009 às 13:17
Mesmo com o Zé da Esquina a dizer que as entrevistas são ficção,eu estou convencido que elas se aplicam na perfeição a muitos dos politicos portugueses.


De lontra do paiva a 6 de Setembro de 2009 às 01:03
Ficção ou não, eis a questão?

Leiam o diário de viseu onde o Dr. José Manuel dá uma entrevista sobre a gripe A e as medidas a adoptar pelo Município. É de morrer a rir.

Agarrem-se, a medida mais importante, ..... foi contratar mais um coveiro!!!!!!!

Quwm não acredita pode ler e constatar, também eu fiquei.... parvo da vida.

Lontra do Paiva



De José Manuel a 7 de Setembro de 2009 às 17:47
Senhora Lontra do Paiva,
Vouresponder a este comentário apenas para que a informação não saia deturpada.
O plano de Contingência para a Gripe A, do Município de Castro Daire, foi aprovado por unanimidade na primera reunião da Câmara do mês de Agosto.
Na sequência da sua elaboração, fui entrevistado pelo Jornal do Centro no contexto de váras entrevistas feitas nos diferentes municípios. De entre as muitas medidas previstas no Plano, como por exemplo saber-se exactamente quem está apto ao serviço de abastecimento de água, ou o número de pessoas que são necessárias para um serviço funcionar... De entre as várias medidas previstas no Plano, figura aí também a possibilidade de se substituir o coveiro, acaso os outros dois sejam atingidos pela Gipe A. Já pensou no que se faria se os dois coveiros ficassem doentes e se houvesse um funeral? Todas estas situações ficaram previstas no Plano. O Jornal do Centro deu relevo a esta, isoladamente, porque as outras medidas eram todas iguais nos restantes municípios.
Obrigado por ter tido a paciência de ler esta explicação.


De Varanda Serrana a 7 de Setembro de 2009 às 21:46
Faz lembrar, por alto, a proposta do BE em acabar com os Rodeos em Portugal (algo que eu até desconhecia existir)...

Mas sim, tem lógica! A do coveiro, claro está...


De Farto da situação a 7 de Setembro de 2009 às 21:55
(continuando o raciocino)... e é também uma medida de se pagar mais uns favores políticos, ou não estivesse-mos nós em época de eleições.


Comentar post

contador de visitas
online

.Calendário

.Posts Editados

. O POVO DECIDIU. DEMOCRACI...

. ELEIÇÕES AUTARQUICAS 2017...

. FIM DA DITADURA

. SONDAGENS (RESULTADOS)

. TEMOS PENA

. CEGUEIRA

. SONDAGENS

. LISTAS DE CANDIDATOS

. CANDIDATOS

. AVANÇAMOS OU CONTINUAMOS ...

.Arquivo

.Farmácias de Serviço

blogs SAPO

.subscrever feeds

.mais sobre mim